Rio Branco – Uruguai

20140824_150542

Ponte Brasil – Uruguai

Domingo eu fui passar o dia no Uruguai. 

Super comum a galera aqui do sul ir pro Uruguai. É pertinho. Ouvi dizer que no verão tem umas praias bem bonitas. Mas no inverno a programação é de compras mesmo. São diversos free shops com preços bem melhores que os do Brasil.

O esquema é bem simples. Fomos pra Rio Branco. Que é a mais próxima daqui. Tem umas excursões que vão pra lá aos domingos. Eles te deixam do lado Brasileiro da fronteira. Você atravessa a pé a ponte e pronto, está no Uruguai. Eu sempre me choco com essas facilidades. Imagina se eu fosse uma fugitiva? Uma fora da lei? Ninguém me perguntou nada. Inclusive, eu esqueci de levar a minha carteira de identidade. Fui só com a de motorista. Mas nem isso me pediram. 

Além de Rio Branco tem outras cidades do Uruguai assim. Ouvi dizer que Rivera é maior e tem mais opções. 

O que tem de bom pra se fazer em Rio Branco? Compras. Muambagem mesmo. Também tem lojinhas de coisas locais. Alfajores, doce de leite… ( Comprei vários pra vocês, viu migas. =* )

Quanto tempo passar? Olha… Em Rio Branco um dia basta. Se eu tivesse com tempo eu seguiria para Punta del Este e depois Montevidéu. De Montevidéu dá pra pegar um barco ou algo assim e ir pra Buenos Aires. Próxima vez que eu vier aqui vou tentar fazer isso.  

O que se fala em Rio Branco? Lá se fala espanhol, português e todas as nuances intermediárias. Portunhol, Espanhês… 

Qual moeda se usa? Dá pra pagar em tudo. Em dólar, em real, em peso Uruguaio, cartão de crédito, dinheiro… O que você tiver.

5 aeroportos em 1 dia

É o brasão de Pelotas, mas podia estar se referindo a mim. Risos.

Vim pra Pelotas com a minha mãe visitar o meu irmão que tá morando aqui. Escolhemos o pior plano de voo da história desse país. 

Saímos de casa às 4:45h. Nosso primeiro voo decolou às 6:30h. Na primeira parada, em Campinas, a gente tava animada. No segundo voo descobrimos já dentro do avião que íamos descer em Navegantes antes de chegar em Porto Alegre. Sabia nem onde era Navegantes. Esperamos 4 fucking horas em Porto Alegre. Nessa altura a gente já tinha superado o cansaço e o sono e tudo isso já tinha virado piada interna. A mais utilizada foi “Se soubesse que ia parar tanto tinha vindo a pé”. Foi aí que eu perdi a elegância e a compostura. 

Vocês sabem que eu não perco uma oportunidade de mendigar em viagem, né? É um impulso mais forte do que eu. Quando vi eu tava descalça, com o computador na mão procurando desesperadamente por uma tomada enquanto mergulhava um biscoito colonial num copo de café. 

Mas sobrevivi. Depois de passar pelos aeroportos de Salvador, Campinas, Navegantes, Porto Alegre e Pelotas, chegamos na casa do meu irmão às 20:00h. 

Como eu abraço a cultura dos lugares, to quase uma colona já. Inclusive, vou ali comer mais uma colherzinha de mumu.

A volta

Gente, voltei. 

Eu voltando pro blog

Eu voltando pro blog

Tava com saudade de escrever aqui. Mas assim… eu não to mais no intercâmbio e não dá mais pra visitar um país por fim de semana. Então isso aqui vai virar um blog de viagens e passeios. Não é porque tá ali a menos de 10km de distância que a gente não pode aproveitar e querer dicas de um lugar pra tomar um café e ver um pôr do sol na baia de todos os santos. 

Então tá combinado assim? 

Entretanto, estou eu aqui escrevendo esse post no aeroporto de Viracopos enquanto espero a conexão. Não poderia ser um momento mais adequando para escrever pra esse blog, né?  Quando eu chegar no meu destino final eu entro em maiores detalhes. Por enquanto fica aqui os meus agradecimentos ao aeroporto de Campinas pela wifi alcançada. 

Projetos

Faz tempo que eu voltei. Faz tempo que eu to aqui parada e já ta me dando um comichão. Saudade de todo dia fazer algo novo. De me sentir numa aventura só de ir no mercado, pegar um ônibus… Vocês não entendem nada do que eu digo.

Tocar fogo no meu apartamento eu não vou. Então seguinte… To começando agora um estágio. O objetivo é guardar o salário até as férias e ir correr mundo. Onde? Onde o dinheiro der e o vento levar. To paquerando o Equador, o Peru, a Alemanha… vamo ver.

Ao longo desse 2º semestre vou colocar aqui dicas, oportunidades… Fica de nota pra mim e pra quem quiser vir comigo.

 

Piquenique no trem

Viagem de trem virou uma rotina na minha vida nos últimos tempos. Mas hoje eu vou falar sobre uma particularidade. O piquenique no trem.

São 2h até o destino final! Me vê 3 sanduíches, biscoito, 4 bananas, 3 laranjas e um forró csoki!

São 2h até o destino final! Me vê 3 sanduíches, biscoito, 4 bananas, 3 laranjas e um forró csoki!

 

É impresionante a farofada se a galera faz nos trens da Europa. E se tem uma coisa que eu fiz na Europa foi dar uma de mindigo. Não podia ficar de fora dessa também, né?

Começou porque a gente costumava pegar trem BEM cedo. A gente chegava na estação com fome e tinha uma fornetti do ladinho. Hummmm… ( para maiores informações, leia o post do sábado da água na boca. ) Mas aí eu ainda tinha vergonha. Até que um dia a gente pegou um trem do lado de um casal de velhinho que… CARAMBA… Juro pra vocês, cada um comeu pelo menos 3 sanduíches, 4 bananas e 1 maça. E a viagem era de tipo 2horas. E eles tinham tipo uma vasilha com as comidinhas embrulhadinhas em papel alumínio. Perdi a ultima gota de vergonha que eu tinha. To mal acostumada. Não posso entrar num trem que a barriga reclama.

Ta indo de trem? Não esquece a sacolinha!

Ta indo de trem? Não esquece a sacolinha!

Despedidas

Tava conversando com Caio, que já voltou pro Brasil, e ele me falou que nem parece que menos de 20h atrás ele estava na Hungria.

Isso me fez pensar sobre o fim dessa minha jornada. Amanhã começo o caminho de volta. Ainda essa semana estarei de volta em Salvador. E… o sentimento é bem esse:

Quando eu cheguei mal pude acreditar. Era tudo tão lindo e tantas pessoas lindas ao meu redor. E todas essas coisas e essas pessoas lindas me ensinaram muito. Sobre o mundo e sobre mim. Também me fizeram ver que eu estou me tornando a pessoa que eu sempre sonhei ser.  Nem sempre foi fácil…  Mas agora que já está quase acabando eu não sei dizer se eu quero que acabe logo ou se eu quero que não acabe. Agora é muito difícil dizer. Gosto de imaginar que junto com os chocolates e cartões postais eu vou poder levar um pouco disso tudo comigo. Gosto de imaginar que todo ano vou voltar pra Budapeste e que eu vou receber várias visitas em Salvador. É isso que me deixa tranqüila. Foi isso que me impediu de  surtar por não ter ido naquele bar, não ter comido torta daquela doceria, não ter visitado aquele outro museu, não ter comprado aquela 30º lembrancinha… Ta tudo bem. Da próxima vez eu faço tudo isso.

Mas… relevem. Eu to estranha pq eu não gosto e porque eu não sei dar tchau. Eu não dou tchau. Eu saio pra comprar o pão e nunca mais volto. Mas isso não significa que eu não vá sentir falta.

Sábado da agua na boca

Se você for à Hungria, coma:

 

-Turó Rudi

É um rolinho de queijo cottage ( Turó ) coberto de chocolate. Vende geladinho na sessão dos iogurtes. É docinho, mas não tanto. Custa entre 40huf e 120huf. Vem em 30g ou 50g

Isso é bem húngaro. Eles colocam queijo cottage em tudo. E segundo eles, não é queijo.

-Iogurte

Jogobella, o sabor da Hungria

Jogobella, o sabor da Hungria

Aqui Iogurte é muito bom. Até o natural é bom.

– Cereja em conserva

Não achei foto porque eu não sei como se escreve “em conserva ” em húngaro.   Mentira, eu sou muito foda e agora eu sei que é meggybefőtt  

meggybefőtt

meggybefőtt

Merece duas. Dessa vez de pertinho

Merece duas. Dessa vez de pertinho

É muito diferente da que a gente vê no Brasil. A calda não é tão doce. Parece só uma aguinha e é cereja de verdade. Isso no iogurte natural é sucesso da Hungria.

– Kürtskalács ( Se fala tipo Curtoush Kolaish. É difícil.)

Curtiuasaljklpounsh Koeurhkkjnlash ou para os não falantes de húngaro: rolinho doce.

Curtiuasaljklpounsh Koeurhkkjnlash ou para os não falantes de húngaro: rolinho doce.

É um caninho de massa doce assado no fogo que pode vir coberto de açúcar, nozes, chocolate em pó… Não é o ultimo biscoito da união soviética mas assim quentinho numa noite fria de natal é reconfortante.

-Forró Csoki

Forró Csoki comum

Forró Csoki comum

É o chocolate quente que a gente ta acostumado. Mas aqui tem em todo lugar. Até em Pub. E sempre vem assim como na foto, com chantily e pans.

-Folheadinhos

Fornetti - presente nas melhores estações de metro/trem

Fornetti - presente nas melhores estações de metro/trem

São muito gostosos e super baratos. É tipo… 1500 huf o kilo. Isso dá… 5 conto um saco cheio. Na estação de trem de Miskolc tinha uma fornetti. Não tinha uma viagem de trem que a gente não comesse.

 

Ia por mais coisas, mas já deu. Depois eu faço o momento da água na boa 2

 

I’m leaving TODAY

Start spreading the news
I’m leaving today
I want to be a part of it
Budapest, Budapest

 

These vagabond shoes
Are longing to stray
Right through the very heart of it
Budapest, Budapest

 

I wanna wake up in a city
That doesn’t sleep
And find I’m king of the hill
Top of the heap

 

These little town blues
Are melting a way
I’ll make a brand-new start of it
In old Budapest
Então que essa melancolia de cidadezinha pequena me cansou já e… bom… meu intercâmbio terminou. Hoje é o ultimo dia de trabalho. Estou terminando de empacotar as minhas coisas. Hoje mesmo parto para Budapest. Lá espero encontrar uns lindos e rever essa cidade que eu já aprendi a amar. Passo uns dias lá, depois Lisboa e então casa.
Meu ultimo dia completo em Miskolc foi ótimo. E fechou bem tudo. Fui pro Global Village, conheci um pessoal, choquei a menina muçulmana da Indonésia dançando funk, garanti a visita de um húngaro e uma australiana ao Brasil e fui filmada e fotografada. Vou aparecer na TV húngara e em um jornal também. Dançando. Mamãe deve estar cheia de orgulho. Depois passei a noite na casa da host family da minha amiga. São uns lindos. Fizemos bricadeiros pras crianças, tomamos vinho top, mostramos musicas do Brasil e ainda saí com lembrancinhas e uma cara chorona de uma menininha de 5 anos que não queria que eu fosse embora.
Vou terminar de arrumar a mala e pensar um pouco sobre todas essas ultimas 6 semanas. Volto em breve.

Grandes Dicas. Recomendo. Campanha “Volte do Leste Europeu com todos os dedinhos” ;D

Comprando um pão

Ta rolando muita notícia aí no Brasil sobre o frio e a neve aqui no leste Europeu. Gostaria de falar umas palavrinhas.

Faz frio sim. Faz pra caramba. Mas ninguém vai morrer. Tem aquecedor e pans. Morreram 100 pessoas sim. Na Europa INTEIRA. 95% Eram mendigos. Os outro 5% eram casos esquisitos.

As pessoas não ficam elegantes num frio desses. Ficam com cara de marginal. Touca, cara enterrada na roupa, mão no bolso… Ou então usam umas coisas peludas e fica a impressão de que elas tentaram se fantasiar de urso. Ahhhh… E a gente fica parecendo muito mais gorda também. Frio que deixa elegante é entre +15 e +5. Essa semana bateu -22.

É lindo olhar pela janela. Mas a rotina do dia a dia fica mais complicado. Por exemplo… Esse domingo eu estava no meu quarto, fazendo nada. Resolvi sair pra comprar um pão. O que eu faço?  Tiro o pijama e coloco:

-1 calça térmica comprada em loja de esportes. Dessas pra quem faz ski.

-1 blusa térmica. Conjuntinho da calça

-1 legging de lã, tomando cuidado para coloca-lo bem acima da blusa pra não correr risco de ficar com o cofrinho no vento.

-1 outra blusa térmica.

-1 calça jeans.

-1 camisa polo, pra dar um charme.

-1 suéter.

-2 pares de meia

-cachecol

-Casacão por cima de tudo

-Luvinhas para arrematar

-Se estiver ventando ou nevando um chapéu/ toca

E eu ainda vou passar frio. É nessa hora que vc entra em uma loja/bar/restaurante e dá uma enrolada até se aquecer.  Hoje eu fiz um videozinho de mim saindo do dormitório pra ir comprar um pão:

 

Vida de negro é difícil. É difícil como o quê. Até na Europa.